Notícias

Após aprovação da Reforma Trabalhista bancos correm para limpar setor pessoal e iniciar terceirização

13/07/17

Os bancos não perderam tempo. Após a sanção da terceirização e a aprovação da Reforma Trabalhista eles já começam a limpar seu setor de pessoal visando aumentar os lucros ao trocar os funcionários por mão de obra terceirizada. Tanto que o Bradesco, menos de 48 horas após a aprovação da Reforma, já lançou um Plano de Desligamento Voluntário Especial (PDVE).

Os Planos de Demissão são usuais em bancos públicos e de economia mista, onde é mais vantajoso para as empresas diminuir o pessoal sem ter que pagar pela estabilidade. No caso do Bradesco, a certeza do aumento da lucratividade é tanta que o Banco está oferecendo até mesmo o pagamento da multa de 40% (o que nunca ocorre nos bancos públicos).

O público-alvo do PDVE são trabalhadores com mais de 10 anos de banco, bem como aposentados ou em condições de se aposentar junto ao INSS. No Regulamento apresentado aos funcionários, fica claro que o objetivo é se livrar dos funcionários mais antigos (e “mais caros”) como também dos adoecidos. Tanto que uma das cláusulas é que os funcionários com ações jurídicas contra o banco terão que abrir mão assinando documentos renunciando às ações.

O que o Banco está oferecendo?

- indenização de 0,6 da remuneração fixa do mês de junho de 2017 por ano trabalhado, limitada a 12 salários;

- aviso prévio;

-saldo de salário;

- 13º salário;

- férias acrescidas do terço constitucional (vencidas, simples e/ou proporcionais)

- levantamento do saldo do FGTS

- indenização de 40% sobre os depósitos do FGTS

- Plano de saúde e odontológico por 18 meses

- vale alimentação e auxílio cesta alimentação no valor equivalente a seis meses.


LUTA BANCÁRIA

Mais revistas