Notícias

BB aumente a contribuição dos associados da Cassi

10/07/18
Na última reunião da diretoria executiva da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi), os dois indicados pelo banco e o diretor recém-eleito, Luiz Satoru, aprovaram aumento de coparticipação dos associados em consultas e exames sem comunicar previamente a ninguém. O único voto contrário foi do diretor eleito Humberto Almeida.
O assunto foi encaminhado ao Conselho Deliberativo, onde o presidente Faraco, também eleito recentemente, pretende convocar reunião imediata não presencial para confirmar a decisão da diretora, certo de que aprovará com apoio dos quatro conselheiros indicados pelo Banco.
Tentando convencer as entidades a apoiar a proposta do Banco do Brasil, Luiz Satoru apresentou algumas pequenas mudanças na proposta, sendo o aumento definitivo da contribuição para 4%, mantendo a contribuição patronal em 4,5%; o voto de minerva para o BB no Conselho Deliberativo; a criação de contribuição por dependentes de aposentados e menores para dependentes de ativos, e a implantação de uma Gerência de TI escolhida pela diretoria, no mesmo nível hierárquico da diretoria e sem passar por processo eleitoral(o que na prática dá mais poder ao Banco). Desta forma, a proposta é alterar a governança sem consulta ao Corpo Social.
Medidas judiciais
Os sindicatos ligados à Frente Nacional de Oposição Bancária (FNOB) defendem que a proposta do BB tem que ser aprovada pelos bancários. Assim, irão discutir judicialmente se o conselho deliberativo tem autonomia para aprovar sozinho o aumento na coparticipação em exames e consultas (aumento que já está valendo desde o dia 2) e irá entrar com medida judicial para retardar o processo de votação da proposta BB/Cassi, já que os conselheiros eleitos não tiveram tempo para apreciação das propostas, tão pouco, foi concedido vistas pedidas por eles.
É importante relembrar que em 2007, a pelega CONTRAF/CUT impulsionou a aprovação da coparticipação e não fixou valores no estatuto, o que gera esse impasse jurídico: a reunião do Conselho Deliberativo tem autonomia para realizar essas alterações?
Todas essas artimanhas da direção do Banco do Brasil junto com os novos conselheiros eleitos da Cassi (que não foram apoiados pelos sindicatos ligados à FNOB – Bauru, Maranhão e Rio Grande do Norte) devem ser repudiadas veemente pelos bancários.

LUTA BANCÁRIA

Mais revistas